Entender a conta de luz

Não importa se é a cada um ou dois meses, a conta de luz sempre chega; portanto, é muito importante que entendamos todos os conceitos que o documento apresenta, do começo ao fim.
Felizmente, não é necessário ser um especialista em energia para entender a nossa fatura, e ao congecer todos os seus elementos, podemos agir de acordo e reduzir nossos gastos ou mudar para uma tarifa muito mais conveniente.

Os detalhes da conta de luz

25 % do custo da nossa conta de energia normalmente responde ao pagamento de impostos que incidem sobre a energia, enquanto 35% do valor pertence ao nosso consumo direto de energia elétrica. 40% corresponde ao Estado, àqueles que carregam a infraestrutura de distribuição e transporte de energia, entre outras.

Quais conceitos compõem a conta de luz?

Para maior clareza, podemos dividir nossa conta de luz em três blocos: o bloco de faturamento, o bloco de consumo e o bloco de dados do contrato.
O primeiro dos blocos inclui conceitos como:
O termo de energia: O custo da energia é pago independentemente de ter ou não consumido eletricidade, simplesmente paga pelo direito de ter essa energia.
A energia consumida: Como o próprio nome indica, esta seção mostra o que realmente pagamos pelo consumo de quilowatts que fizemos no período de tempo determinado pela conta de luz.
O imposto de energia elétrica: Este pagamento aplica-se tanto ao consumo como à energia contratada e, embora seja a comercializadora que o recolhe inicialmente, acaba por ser reencaminhado para o Governo.
O aluguel do equipamento de medição: Este custo deve ser pago caso o medidor que está usando não seja seu. Caso pertença à distribuidora, terá de pagar pela sua utilização um valor fixado pelo Governo, que por sua vez depende do tipo de contador em causa.
IVA: Ou o Imposto sobre o Valor Acrescentado, 21% no caso de potências superiores a 10kW. No segundo bloco encontramos o período de faturação que, como o próprio nome indica, refere-se ao período de tempo de fornecimento que será cobrado nessa conta de eletricidade específica. Como já sabe, pode ser mensal ou bimestral.
E por fim, no terceiro bloco, encontramos uma série de dados de interesse sobre nosso contrato, de cunho mais geral e meramente informativo:
A potência contratada: A capacidade máxima de nosso fornecimento em relação a kW . A potência contratada que queremos adquirir dependerá do número de dispositivos elétricos que queremos conectar ao mesmo tempo.
Taxa de acesso ou pedágio: Neste caso, pagamos um preço fixo que é estabelecido com base na energia contratada que adquirimos. Esta remuneração passa posteriormente para as mãos do distribuidor em troca da utilização das suas infraestruturas.
O código CUPS: É exibido o identificador do local onde o fornecimento de energia é feito.

O número do contrato.

Também podemos encontrar conceitos como energia reativa em nossa conta de luz —somente em caso de consumo significativo— e excessos em relação à potência contratada —registrada por um maximeter se houver.
Se ainda tiver dúvidas na hora de consultar a sua fatura de eletricidade, na Nabalia estamos sempre disponíveis para o ajudar. Pode contactar-nos através do nosso telefone -210 518 954— ou, se preferir, pode introduzir o seu número e nós ligamos para si.

Quero saber mais sobre as tarifas da Nabalia Energía

Vá para o WhatsApp